terça-feira, 28 de fevereiro de 2006

RETRATO


Duas pequenas luas flutuando
sob a blusa cor-de-céu, sem decote,
um cheiro a canela por entre cumes
nunca vistos, altaneiros e secretos,
o perfume de Maio em seus cabelos
refulgindo ao Sol de Julho, mailas
mãos mais suaves que as maçãs
da Pérsia (ardendo em surdina),
a gruta de mil sabores da boca
adiando o beijo — e já nem sei quando
esqueço o dia em que sobeja a noite.


Eurico de Carvalho

Poema publicado em Dezembro de 2003
no jornal «O Tecto» de Vila do Conde
(Ano XV: N.º 43). Cf. página 11.

Etiquetas:

0 Leituras da Montr@:

Enviar um comentário

Montr@ das Leituras:

Criar uma hiperligação

<< Home