quarta-feira, 29 de março de 2006

OS PARAÍSOS PARTICULARES


Os paraísos particulares

matam tanto como os outros, acredita. Aquém do mais,

quero varrer vampiros e aves

de jardins de arame, à janela dos ventos


em vendo andorinhas rotas, tigres da memória.


Eurico de Carvalho

In Campo Alegre — Colectânea de Poemas,

Porto, 1986.

0 Leituras da Montr@:

Enviar um comentário

Montr@ das Leituras:

Criar uma hiperligação

<< Home